Calendário para temporada 17/18

Esse fim de semana marcou o encerramento da temporada 16/17 do Agility brasileiro, de forma morna diga-se de passagem, principalmente porque no calendário era previsto uma festa anual que marcaria a temporada. Eu esperava pelas provas de Túneis, prova do Tambor e a cerimonia de entrega dos troféus pelas conquistas das duplas, semelhante o que ocorreu na anterior, mas…

Rei morto, Rei posto – Hoje o site oficial agilitybr publicou o calendário para a próxima temporada e destaco alguns pontos:

O primeiro é que começamos com etapa dupla da Copa Paulista. Eu sou contra, algo cabalístico, mas tenho que as etapas do Paulista devam ser simples e nos domingos.

Segundo que temos as datas das quatro etapas do Campeonato Paranaense e isso é maravilhoso. Tive a oportunidade de participar do primeiro em 2014 como árbitro e competidor e foi ótimo. Creio que serão outros organizadores e não sei em qual cidade será, mas se repetir o que tivemos na oportunidade, certamente será um sucesso.

Paranaense de 2014

Terceiro que voltaram as dez etapas do Brasileiro com intervalos de dois meses entre elas, rotornando a Copa CBA para apenas um fim de semana como seletivas, formato esse que mais me agrada. Há rumores que uma dessas etapas duplas do brasileiro será realizada no nordeste e mesmo sabendo que dificilmente participarei, sou totalmente a favor. Afinal, nada mais justo mediante a força que está se tornando a região no cenário brasileiro.

Como sempre, ficamos na torcida para que as datas sejam respeitadas, já que isso é fator primordial na programação daqueles que precisam fazer grandes deslocamentos e ficar dias afastados de casa e do trabalho.

Boa temporada à todos.

O futuro começa agora

Foi publicado no Facebook, posteriormente no Blog do Fabi e esse espaço aqui também não poderia deixar de divulgar essa bela reportagem realizada pela Adestrador Online.

Durante as etapas do segundo Campeonato Paranaense de Agility, Michelle entrevistou as crianças e jovens condutores que estavam participando das provas. A abordagem foi uma grande idéia, afinal eles são o futuro do nosso esporte.

DSC_0056-2

A desenvoltura e desejos da galerinha impressionam. Yuri, Nicole, Guilherme e Théo nos enchem de esperança e confiança para o que está por vir no Agility brasileiro. Vale a pena conferir a matéria.

Paranaense – Higa na maturidade?

O retorno com Higa Maggi entraria nos meus comentários sobre meus resultados e os da Edilene, mas a coisa se alongou tanto que cabe esse post exclusivo.

Sou perseverante ou cabeça dura, como queiram, mas ainda vejo um grande potencial nessa cachorra. Ela está com cinco anos, mas acho que ainda teremos muito tempo para nos divertir em pista. Embora não tenhamos completado a prova em São José, mais por culpa minha diga-se de passagem, fiquei muito satisfeito com o que vi e senti ao voltar a conduzi-la.

Para escrever sobre esse momento queria lembrar que como em todas atividades, no Agility também aprendemos muito do lado de fora. Para mim essa foi a segunda oportunidade de interagir com os agilitistas pré ou pós prova, a primeira vez foi em Ilha Bella mas na oportunidade os grupos ficaram divididos e acabamos ficando com os mesmos. Acredito que aqueles que viajam com frequência e ou já foram para provas internacionais, saibam bem o que é isso. Com mais tempo e com a cabeça relaxada fora das quatro linhas, as idéias diferem do habitual. No mundo corporativo existe uma lenda de que os melhores negócios são realizados na mesa do bar e não nos escritórios. Talvez caiba para o Agility também.

Na viagem de volta, durante o jantar, estavamos levando um bom papo, aliás, um ótimo papo com Antonella (é sempre muito divertido confabular com essa ragazza) quando ela despertou para algo que até então eu não havia pensado. Falando sobre a doida ansiedade da Higa, ela nos deu o exemplo de sua Maddi e alertou para o fato de que talvez só agora ela esteja amadurecendo. Os cinófilos que nos digam se é possível apenas aos cinco anos de idade um cão atingir sua maturidade. Durante os dois últimos meses já havia comentado com Edilene sobre as diferenças comportamentais que ela vem apresentando, mais dócil, próxima, delicada, atenta, enfim…, mais ligada a gente. Quem sabe só agora nossa marrom esteja ficando mocinha.

irmãos

Como definimos que a Edilene passará a treinar a Loira, terei mais tempo para entender melhor o comportamento e as reações da Higa. Detalhe é que hoje também estou mais maduro dentro do Agility e sei aproveitar melhor o todo, os detalhes, e não apenas o resultado. Vida longa e divertida para nós!

Paranaense – Condução

Melhor resultado para o domingo de prova seria impossível, com Skol nos Midis e Loira nos Standards vencemos os dois Opens. Por muito pouco, mas pouco mesmo, não conquistamos o combinado nas pistas do Samir que levaria Loira ao G3.

1939996_750430008312523_1101648159_o

Skol deve ter sentido a longa viagem e o fato de ter dormido na caixa a noite toda. Diferente dos outros, ele é o único de casa que não usa a caixa como cama. Quando entrou na pista de Agility, parecia lento, desatento e a preocupação com o comportamento dele me desconcentrou, mas fomos até o final mesmo com três faltas. Fiz algumas brincadeiras e exercícios para despertá-lo no intervalo, creio que tenha surtido efeito porque voltou melhor. Fizemos um bom Jumping e fechamos a prova em primeiro lugar.

1911060_750429994979191_988353470_o

Edilene e Loira fizeram boas pistas nos dois dias, mas detalhes provocaram eliminações que poderiam ser evitadas. Falta um pouco de rapidez nas ações da Edilene, mas é natural se considerarmos o tempo de treino e competição que ela tem, além do fato principal de não vir treinando com Loira. Porém, para mim é notável a evolução e creio que com pouco tempo estejam se entendendo.

Eu e Higa merecemos um capítulo a parte.

Paranaense – Arbitragem

Viagem tranquila e agradável rumo a São José dos Pinhais. Chegando na cidade o GPS nos levou direto ao Canil Campo Alto e lá fomos recebidos com toda a simpatia e hospitalidade que Marco Polo oferece a todos amigos. Vários agilitistas já estavam no local e faziam um último treino com o coach Samir antes das etapas.

Colônia Murici

Colônia Murici

Sábado, dia de arbitragem, pulamos cedo e fomos até o Canil para de lá partirmos em comboio até o Parque São José, local da prova. Espaço incrível oferecido pela prefeitura de São José dos Pinhais, quem dera outras fizessem o mesmo para os mais variados esportes. Últimos detalhes na organização, correria, todos colaborando e a primeira pista estava pronta para os competidores.

Aurélio foi meu parceiro na arbitragem fazendo os Iniciantes e a primeira pista do G1, coube a mim a segunda pista G1 e na sequência fiz o Agility e Jumping do Open. Fiquei feliz com a quantidade de duplas novas do Paraná e Rio Grande do Sul. Muito bom ver essa renovação, que venham mais e mais.

Ao final do dia agradável que passamos, de volta ao Canil, Fabiano me perguntou sobre o que achei das minhas pistas. Curioso porque normalmente os condutores nos dizem suas impressões sobre nossa pista e não qual foi a nossa como árbitro. Respondi que achei razoável. Por quê razoável? Bem, creio que como eu, a maioria dos árbitros após o desenrolar das provas gostariam de mudar pelo menos algum detalhe em suas pistas, mas é impossível prever 100% dos acontecimentos. São muitas variáveis como a quantidade de duplas novas, o piso fofo e escorregadio por conta da chuva foram algumas exemplos nessa prova. Sendo assim, na somatória geral fiquei bastante satisfeito com meu primeiro trabalho além das fronteiras paulistas. Que venham outras.

Por Neisa Rauth

Por Neisa Rauth

Agradeço ao Marco Polo pelo convite e confiança. Também a todo o apoio oferecido e disposição dos amigos da secretaria, da sempre responsável Cibele – secretaria, Chú – cronometrista oficial, Marcos Felipe – veterinário/locutor/auxiliar de pista, Edilene – súmula/locução/cronômetro, Antonella – súmula/cronômetro, Veridiana nos computadores, pai do Daniel (esqueci o nome) – auxiliar de pista e a todos que de alguma forma colaboraram com o transcorrer da prova. Um agradecimento especial a Zé Ernesto que remotamente auxiliou Veridiana em sua primeira vez frente aos programas específicos.

Confraternização ao final do dia

Confraternização ao final do dia

Árbitro Interestadual – Paranaense

ParanaA denominação não existe, mas as 2ª e 3ª etapas do Primeiro Campeonato Paranaense de Agility serão um marco por serem minhas primeiras pistas como árbitro além da fronteira paulista.

Havíamos prometido uma visita a família Rauth em São José dos Pinhais e não poderia haver melhor ocasião. À convite do Marco Polo, eu e a Patroa uniremos o útil ao agradável  nessa viagem pois, além da arbitragem, poderemos competir  no estadual paranaense.

As provas serão realizadas no Parque São José com início ás 10:00hs nos dias 15 e 16 de fevereiro. Assim que souber a programação completa das provas preciso traçar nosso plano para a viagem. São aproximadamente 5 horas de viagem  pela BR 116 (Régis Bittencourt), sendo assim cabe analisar se partiremos no dia anterior ou sairemos no mesmo dia de madrugada.

Parana2

Deixo meu agradecimento especial ao Marco Polo e Neisa pela confiança e amizade.

Matéria do Jornal Metrópole

Informações oficiais do site Agilitybr