Findado Américas e Caribe 2013

Sem a visão ou emoção de quem esteve lá, apenas me baseando pelos números, relatos e comentários que acompanhei a distância, escrevo aqui algumas considerações.

Começando pelo início, como diria o poeta, destaco a participação de Marcos Victor que levou três cães para a competição. Representante da nova geração, vem adquirindo experiência, bagagem internacional e foi o unico brasileiro a competir no G1. Ótima quarta posição entre os Standards com Prettybeth.

Open Midis – Destaque para Samy e o incansável Théo. Próximo de completar 8 anos, conquista mais um título em sua carreira vitoriosa e também Cacau, jovem senhora que ao lado do Aurélio beliscaram mais um pódio internacional.

Open Standards –  A dupla campeã Paulista e lider atual do Brasileiro confirmou o excelente momento e trouxeram para o Brasil mais esse título. Contrariando a lenda de que o auge dos cães se dá aos quatro anos, Happy mostra que atingiu agora, aos sete anos de vida, o equilibrio de campeão e a sintonia perfeita com Tiago.

Open Equipes – Destaque para o time Standard formado por Felipe/Petit, José Luis/Bona, Tiago/Happy e Marcela/Simba.

A&C Mini – Samir e Lali conquistaram o título. Impressionante, já que essa cachorrinha tem apenas 21 meses e está só começando.

A&C Midi – Destaque para o foguete Dora, Border Collie Midi, conduzida por Marcela com seus tempos assustadoramente baixos. Não conquistaram o título, por uma falta no Jumping subiram no segundo degrau do pódio, mas fica claro o potencial e futuro brilhante pela frente.

A&C Standard – Peço licença aos brasileiros, mas devo abrir um parenteses para quem, confirmando a excelente performance no último mundial, provou ser uma das maiores duplas sul-americanas do momento: Romina e Wish.

A&C Equipes – Mais uma vez confirmado que, no montante, ainda continuamos como a maior força do Agility sul-americano. Seo Kuka escreveu no facebook: “Minis e Midis… sempre eles” .

Gran Jumping – Destaque para mais um prêmio de Samy/Théo entre Midis e José Luis/Bona que levantaram o caneco entre Standards. Desculpem minha ignorância agilitista, não é desmerecimento (Quem sou eu para isso?), mas qual o motivo dessa competição?

Finalizando: A preocupação é importante, afinal nos faz buscar sempre mais quando o assunto é defasagem ou as novidades lá de fora. Porém, quando vemos esses resultados em provas internacionais, nos tranquilizamos e nos certificamos de que, mesmo com as dificuldades, o Brasil continua forte no cenário internacional de Agility.

Parabéns, Delegação Brasileira de Agility!

Foto por Jumpagility.com

Foto por Jumpagility.com

Vício

Quem frequenta o Blog provavelmente já ouviu declarações de agilitistas dizendo que uma vez picado pelo inseto Drosophila Canis Agilitus (transmissor do vírus agilitista) nunca mais será o mesmo.
 
 Os que sofrem desse mal, certamente já passaram por situações em que passeando e avistando um belo campo gramado, começou a imaginar como ficaria mais bonito aquele espaço com obstáculos coloridos, barracas de escolas, cães correndo e saltando. Cercas de jardim dispertaram aquela dúvida: – Será que se eu mandar, o Totó pula?… Passou por centros esportivos e ficou imaginando que com todas aquelas quadras de futebol society poderia rolar um campeonato bem legal com duas ou três provas ao mesmo tempo.
 
 Sim, esses são alguns exemplos de como trabalha a cabeça de um louco por agility… e olhem que citei apenas exemplos relacionadados a espaço porque se começarmos a falar de idéias para treinamento…, faltaria espaço no Worpress.
 
Ontem, fiquei com a tela da lista de inscritos aberta em meu computador até o segundo tempo da prorrogação. Dez da noite, meu lado consciente dizendo que deveria deixar passar em branco, mas o lado viciado insistia para que eu apertasse o ícone inscrever dupla. Com muito esforço somado a ajuda da metade consciente da Edilene, finalmente consegui desligar meu computador e evitar aquele clique que comprometeria todo o final de semana.
 
 
Para mim as seletivas seriam apenas diversão e claro, aprendizado, lembrando que os melhores estarão por lá, mas tenho muita coisa pendente para resolver em casa e mesmo com o sangue contaminado correndo nas veias, as vezes (bem pouco) devemos lembrar que a vida não se resume a esse vício tão bom.
 
 
Curtindo minha crise de abstinência, desejo muita sorte aos que brigam por uma vaga e… muita diversão aos demais.