Mulheres que apitam

As finais do 18º Brasileiro brindaram a semana em que comemoramos o dia internacional das mulheres com estréias. É visível a força delas no Agility, inclusive superando os homens em títulos nas últimas temporadas, segundo levantamento do Fabiano (veja aqui). Porém, em outro ponto a presença delas é muito tímida, na arbitragem.

Vivy Specian ao centro

Oficialmente tinhamos até esse fim de semana apenas duas mulheres no quadro de árbitros, Simone Lessa/SP e Daniela Pereira/RJ. Faz muito tempo que não vejo Simone atuar e Daniela, somado a falta de provas no Rio, também não tenho notícias.

Como colega de arbitragem fiquei muito feliz ao presenciar Vivyane Specian e Marcela Françoso debutando nas pistas dos Iniciantes.

O detalhe é que quem atua há mais tempo sabe como, embora não pareça, é difícil desenhar pistas iniciantes. Ora ficam abertas e rápidas demais, ora oferecem riscos que acabam deixando o pódio vazio. Ambas, ao meu ver, se deram muito bem na estréia, tanto nos desenhos dos percursos como nos julgamentos.

Marcela com o pódio cheio

Parabéns, meninas.

Mais uma vez, amizade

Esses foram dois presentes recebidos na recente etapa da Copa Paulista. Dois porque a cerveja era minha (rs).

p

A camisa veio de longe e é personalizada, para ele no caso (rs). Fabiestiga me trouxe dos Pampas o agrado, segundo ele pela nossa parceria na tenda, no café, nas conversas, enfim… Essa parceria vem de longe, não sei exatamente quando, mas faz tempo. Quando a Amac começou a encolher, a tenda da escola que era grande, de aço e muito pesada, tornou-se inviável para nós. A partir daí resolvi adquirir minha primeira, que deveria ser leve e de fácil montagem já que na maioria das provas estaríamos apenas eu, Edilene e os dogs. Bem, a partir daí não demorou para que outro casal e um garotinho, vindos de tão longe, passassem a dividir o espaço e companhia, fato que configurou nossa tenda como sendo a mais heterogênea do Agility brasileiro.

Já a medalhabridor foi agrado da japa querida, Adalgija. Outra parceiraça gente finíssima que o Agility nos deu. Não sei o motivo, mas ela afirmou que a primeira pessoa (pinguço) que lhe veio a cabeça quando viu essa medalha, foi eu. Tô tentando entender até agora…

Fato é que esses encontros, agrados e zoeiras só fortalecem minha velha máxima de que Agility é, e sempre será, amizade.

Obrigado, amigos.

PS: Coordenadores da CBA, essa medalhabridor é uma ótima dica de premiação.

No stress

no stress messageKeep Calm!… Manter a calma foi a lição que aprendemos com a estréia da Raika em competições.

A Edilene queria de toda forma acelerar o processo de aprendizado de nossa sheltinha nesse início de ano com o intuíto de inscrevê-la no Grau 1. Para fazer a Carteira da dupla foi necessário muita conversa e exemplos para convencê-la de que o Iniciantes seria o melhor para a dupla. Como os fundamentos ainda não estão minimamente sólidos, seria muito provável pistas frustrantes e surpresas desagradáveis. Em contrapartida, no Iniciantes poderiam se divertir e observarmos com calma as reações da Raika em ambiente de prova. E foi o que aconteceu.

16423108_1459549390733911_17386313492953465_o

Das seis pistas que fizeram, houve apenas uma eliminação porque Edilene acabou derrubando uma das asas do Salto na Copa Paulista. As provas foram em dois locais distintos, o Clube de Cãompo com sua amplitude e grama natural, e a Dog World com sua pista cercada e grama sintética. Essas variações foram um ótimo teste para Raika que se mostrou centrada o tempo todo, inclusive no momento em que o obstáculo desabou próximo a ela.

O resultado final foi de medalinhas, mas o principal é que a cachorra se portou muito bem, a condutora ficou muito feliz e teremos tempo e calmaria para fortalecermos os fundamentos da doguinha, até que seja o momento de colocá-la no Grau 1.

16463808_1456835014340712_912548492414096432_o

Foto: Clube de Cãompo

Mini Revolução

A carência de Minis e Midis no Agility brasileiro desde sempre foi destaque nas ordens de entrada. Não foi planejado, mas acabei deixando os Standards com a chegada do Skol. A intensão era a de um cão pequeno para Edilene conduzir, o resto é história, mas fato é que a “concorrência” nas categorias menores fica longe dos Standards, talvez seja um dos fatos de nos classificarmos para o Mundial.

Essa semana fizemos a CT da Raika, nossa Sheltizinha que será conduzida pela Edilene. Concordamos em estreiá-la no G0 para que a dupla comece sem nenhum tipo de pressão e vá ganhando confiança sem estresse. Como ela é Mini, corri os olhos na lista das novas carteiras para essa categoria e fui surpreendido positivamente.

ctrk

Encontrei muitos pequenos que serão conduzidos por condutores experientes como Rubens com Nose, Leandro com Farofa, Vívian com Nimoy, Katia com Pringles, Cassiana com Chili, Felipe com Kyra, Ana com Peeta e Marcela com Marie são algumas dessas duplas Minis Iniciantes. Além dessas duplas, temos algumas desconhecidas por mim como Miguel com Tommy, Weslei com Balu, Joanna com Dilma, Patricia com Arrow, Rosane com Sofia e Eric com Léia.

Ainda não sabemos se todas essas duplas estarão em Itu nas etapas da Copa CBA, mas seria lindo ver uma ordem de entrada recheada de Minis, uma Mini Revolução.