XCPA – 3ª etapa

Atrasado, mas como foi muito agradável, não poderia ficar sem comentar sobre a terceira etapa da Copa Paulista de Agility que ocorreu dia 6, no Clube de Cãompo em Itu.

Competindo no G3 e julgando quatro pistas G1 e G2, o domingo foi muito desgastante, tanto que na segunda-feira eu estava com as pernas doloridas. Porém, o prazer de estar fazendo o que gostamos nos faz superar o cansaço.

Foram muitos pontos positivos: – Edilene e Raika foram muto bem nas duas pistas e faturaram mais uma medalhinha de ouro. Só não conquistaram a segunda porque Edilene optou em dar sequência após um refugo na entrada do Slalon. – Eu e Skol eliminamos no Jumping por uma infelicidade quando errei um pouco a trajetória e ele derrubou a asa de um Salto que precisaria ser refeito. Não fosse isso, seria uma pista muito rápida e limpa. No Agility apenas um Refugo no Slalon, o que acabou impedindo pontuarmos por não alcançar o tempo alvo estabelecido pela dupla Zé e Bina.

Na arbitragem fiquei muito satisfeito com todas os quatro percursos, talvez um porém para a abordagem da Passarela do G2. Em parceria com Samir, árbitro das pistas G3, fizemos um grande trabalho com as mudanças de uma forma simples e muito rápida.

AG2

Tentei algo novo ao divulgar as pistas antes da montagem dos percursos. O feedback por parte de competidores e árbitros ficou entre positivos e neutros, nenhum comentário negativo, o que me motiva a continuar colocando, junto as ordens de entrada, os percursos que julgarei na prova.

JP2

Dentre as alegrias do dia, o melhor foi a obtenção dos combinados por várias duplas que estavam atrás do acesso. Como árbitro, é gratificante ver as duplas colocando o seu melhor em exercícios que traçamos com todo cuidado. Na categoria Mini foram Samir com Bandit e Julia com Pixel e entre os Standards, Samir com Shine, André Deco com Valentina e Renata com Capitu. Na abertura do Brasileiro teremos mais essas cinco duplas no G3. Bom demais.

Anúncios

2 respostas em “XCPA – 3ª etapa

  1. Grande ato esse como juiz: divulgar os mapas das pistas antes do reconhecimento. Tivemos isso no pré Américas e foi fundamental, deveria ser até obrigatorio no agility

    Curtir

    • Soraya, foi justamente inspirado em provas internacionais e por também acreditar que é legal para os condutores entrarem no reconhecimento tendo uma idéia da sequência e direção na distribuição dos obstáculos.
      Alguns árbitros não gostam de divulgar porque a pista raramente será fiel ao percurso traçado no computador, mas penso que isso é totalmente compreendido pelos competidores.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s